LUÍZ INÁCIO LULA DA SILVA

O Presidente Lula da Silva, é hoje referido na crónica semanal O tempo e a memória de Mário Soares, no jornal Diário de Notícias.

Como muito bem diz Mário Soares, este homem, antigo operário, consegue ombrear com as maiores figuras internacionais, como Barack Obama ou Nelson Mandela, e é o maior embaixador da língua portuguesa no mundo.

Os jornais Le Monde e El País, escolheram-no como «o homem do ano em 2009».

Eu, pela parte que me toca como simples cidadão português, sinto muito orgulho neste falante da nossa língua, pelo que representa como pessoa, como tem conseguido elevar o Brasil ao mesmo patamar dos USA, Rússia, Japão, Índia, China e poucos mais, e como nos grandes palcos do mundo consegue entendimentos, por vezes já considerados perdidos.

Grande Presidente que os brasileiros têm. Só espero que, quem vier a seguir, seja seguidor do trabalho de Luíz Inácio Lula da Silva.

SBF

(Foto: Wikipédia)

MOURINHO E A SELECÇÃO PORTUGUESA

Todos os cidadãos a quem é concedida a nacionalidade portuguesa, na altura do nascimento ou mais tarde por opção, são portugueses de pleno direito. A constituição portuguesa só prevê uma excepção – A impossibilidade de assumir a presidência da República para os casos de opção.

Quando Mourinho afirma que: “no lugar de seleccionador nunca convocará naturalizados” dá a conhecer-se, mais um pouco, aos portugueses. Este homem tem tanto de bom treinador como de pessoa repetidamente condenável.

A propósito, a crónica de Ferreira Fernandes no Diário de Notícias de hoje, mostra bem o que é o homem. VER AQUI.

SBF
(Dicas: Diário de Notícias e Ferreira Fernandes)

COMO É QUE QUEREM?

Os agricultores e outros atingidos pelo temporal na região Oeste, devem ser ajudados de forma a recuperarem dos prejuízos. Pelo que percebi, no próprio dia da catástrofe, pelo menos dois ministros estiveram no terreno a avaliarem “inloco” a situação.

Todos os líderes da oposição, como de costume, e com a comunicação social na onda, puseram-se em bicos de pés e fizeram declarações duma maneira geral críticas à reacção do Governo, exigindo mais verbas para apoio aos agricultores do Oeste.

Os nossos políticos são o máximo!

Às segundas, quartas e sextas, reclamam do governo, redução do endividamento externo e redução do deficit, às terças, quintas e sábados, exigem mais verbas para uma quantidade coisas. O CDS agora, até quer os mesmos apoios para a Madeira.

Então como é? Como é que querem? Que se gaste mais dinheiro ou que se baixe a dívida e o deficit?

SBF

MENSAGENS DE NATAL

A banalidade das mensagens de Natal e Ano Novo, que os governantes e representantes das igrejas, costumam fazer aos portugueses, não deviam ser motivo de primeira página e muito menos com destaque.

Mesmo assim, a nossa comunicação social e principalmente as televisões, não pouparam em esforços e “esmiuçaram” a mensagem do Primeiro-Ministro ao pormenor e correram a ouvir as opiniões dos partidos da oposição. Mas que grande furo jornalístico…

José Sócrates não me convence em tudo, e não simpatizo com a forma como “bota discurso” mas, o que de negativo lhe encontro, não ultrapassa o que considero certo na governação do País, com este Primeiro-Ministro.

O caricato disto, e fazendo justiça ao esforço dos repórteres das nossas televisões, é o que disseram os representantes dos diversos partidos da oposição. Falaram como se fosse suposto, o Primeiro-Ministro, nesta mensagem, comunicar as grandes decisões governamentais para resolver os problemas do País e, ao mesmo tempo, agradar ao CDS, BE, PCP e PSD.

SBF
(Foto: Jornal I Online)

CONSUMISMO SEM LIMITE

A preocupação com os outros e o espírito de solidariedade, quando é verdade, é permanente e faz parte do dia-a-dia de cada um. Digo mais, quando estes valores e outros parecidos, são evocados nesta altura, fico sempre com algumas dúvidas da intenção do “evocante”.

Esta época, a Páscoa, os mais variados dias nacionais ou mundiais, foram aproveitados pelas grandes marcas internacionais, para incentivar o consumismo sem limite, de que eu sou crítico e que faço o possível para não ir na conversa. Continuo a achar que o supérfluo é queimar recursos do bolso, do País e do planeta.

Haverá quem diga que o consumo sustenta a economia de mercado e com isso mantém as empresas que, por sua vez, dão emprego e por aí fora. Só que depois continua – O empregado ganha o ordenado que serve para consumir e… é “pescadinha de rabo na boca”.

Não é nada agradável, passarmos pelas ruas na manhã do dia de Natal, e vermos as toneladas de papel, cartão, plástico e sei lá mais o quê, transbordando os caixotes do lixo. É a parte visível do desperdício das “prendas”.

Esta frase é um lugar-comum, mas é a mais acertada para dizer agora – NATAL, É QUANDO UM HOMEM QUIZER!

SBF

ANGOLA – INVESTIMENTOS EM PORTUGAL

Acabei de assistir ao frente-a-frente no jornal das nove da SIC-Notícias. A moderação foi da Ana Lourenço e os convidados João Soares e Diogo Feio.

Fiquei completamente “de boca aberta” com a primeira intervenção (à escolha do próprio) de João Soares, a propósito da entrada de capital angolano na ZON TV CABO. Referiu uma suposta origem duvidosa do dinheiro investido, associando o poder angolano à questão.

João Soares não esquece o seu amigo Jonas Savimbi. O que seria Angola nas mãos de Savimbi? Provavelmente mais a jeito de João Soares, mas de certeza, muito menos a jeito do povo angolano.

A nossa economia precisa de investimento e principalmente estrangeiro. Se há-de vir de algum lado, que venha de Angola.

NÃO SEJA MAIS PAPISTA QUE O PAPA!

SBF

PRESIDENTE DA REPÚBLICA V/S PARTIDO SOCIALISTA

Toda a gente sabe que o actual Presidente da República é um homem de direita, e que, por inerência, muito conservador no que respeita a tudo que tenha a ver com novos costumes e novas filosofias de vida. Foi contrário à despenalização do aborto, nunca concordou com muitas das medidas de apoio e enquadramento social de toxicodependentes, discorda de tudo o que tenha a ver com a aceitação, como iguais, de cidadãos que optem por orientação sexual diferente da convencional e, como não podia deixar de ser, não concorda com a proposta de lei para os casamentos de pessoas do mesmo sexo.

Por muitas outras razões e também por estas, é que eu não votei neste Presidente e nem concordo, na maior parte das vezes, com a forma como exerce a sua função. Encaro a coisa naturalmente, que é, como deve ser.

Acho que o grande problema de José Sócrates, e por arrastamento, de todos nós, foi termos levado com esta crise em cima. O Governo estava a fazer um trabalho, os indicadores até 2007 estavam muito bons e, não fora o que aconteceu depois de Setembro de 2008, e hoje a história era outra.

Embora geralmente concordante com a política do PS no Governo, não posso deixar de lamentar as intervenções dos dois “vice” da bancada parlamentar do PS relativamente ao Presidente da República, e, principalmente, esta última do SSP, acusando o PR de se intrometer na agenda política do PS. Acho de um exagero escandaloso e, tenho a certeza, que a maioria dos portugueses, mesmo os que votaram PS, não se revêem neste tipo de declarações.

Se já estava tudo mal, pior ficou, quando no jantar do PS de ontem, José Sócrates elogiou duma forma muito particular estes dois deputados, ou seja, concorda e apoia estas intervenções a propósito do Presidente da República.

Lamento que assim seja, porque se o PR não pode conduzir a agenda do PS, e entendo que não o fez, o PS também não pode, nem deve dar a entender que pode, colocar fita adesiva na boca do PR. Ele é livre, estamos num País democrático e ele também tem o direito de discordar.

SBF

FORMULA UM DA AVIAÇÃO

Muitas vozes se levantaram cedo de mais, para levarem a água ao seu moinho, na opção da Red Bull mudar a etapa portuguesa, de Porto e Gaia para Lisboa.

Até o JPP teve a veleidade de, na quadratura do círculo, acusar o A. Costa duma série de “coizinhas” a propósito da questão.

Pois, ainda hoje, a organização da prova deu uma conferência de imprensa, explicando todas as razões que os levaram a trocar o Douro pelo Tejo. Tem tudo a ver com as limitações, provavelmente físicas/espaço, que a pista do norte apresentava.
Está assim explicado. Ninguém roubou nada a ninguém. O Porto, continua “lindo”, e os queixosos do costume que aprendam a estar calados quando devem.

SBF
(Notícias e foto: Diário Económico Online)

O INVERNO CHEGA COM FORÇA

Muito cuidado com o frio.

Recomenda-se levar a sério todas as dicas para aguentar a vaga de frio, especialmente para o pessoal sénior e, duma forma muito particular, os “sem abrigo” das nossas cidades.

SBF

CIMEIRA DE COPENHAGA - FRACASSO

Os senhores do mundo não se entenderam sobre uma questão – de vida ou de morte. O problema é que neste caso, não lhes diz respeito só a eles, mas a toda a humanidade e a começar pelos mais pobres.

Já se previa que a China seria um “osso duro de roer”, mas se o Obama (grande desilusão) tivesse procurado entender-se com alguns “emergentes” e com a Europa, a China poderia ter sido obrigada a ceder.

Até parece que a situação agora é pior, uma vez que não ficaram assumidos compromissos para os limites de emissão CO2 e, por via disso, a subida da temperatura acima de 1.5 graus Cº com as consequências catastróficas irreversíveis.

Conclui-se que os combustíveis fósseis vão continuar em grande por todo o planeta, incluindo nos USA, e os investimentos para as energias alternativas, vão continuar a andar devagarinho, porque o lucro é que conta e até para o ano no México.

Por quanto mais tempo o nosso planeta vai resistir?

Esperança sempre há, mas está cada vez mais pequenina.

SBF

AMINATOU HAIDAR – MULHER CORAGEM

Aminatou conseguiu os seus objectivos: Pôr o mundo a olhar para a situação injusta em que vive o seu País – Saara Ocidental ou República Árabe Saaraúi Democrática, e voltar para junto da sua família.

Quando em 1976 a Espanha abandonou, literalmente, a sua colónia, tudo levava a crer, que o povo “Saaraúi” ia ascender naturalmente à sua merecida independência mas, nada disso aconteceu. Os Governos, de Marrocos e da Mauritânia, numa atitude idêntica à Indonésia de Suarto em relação a Timor, tratam de, pura e simplesmente, invadir o território. A Mauritânia fica com um terço a sul e Marrocos com o resto.

Algum tempo depois a Mauritânia acaba por abandonar o território ocupado mas Marrocos mantêm-se até hoje. A comunidade internacional tem deixado arrastar a ilegalidade, mantendo uma força das UN no País há muitos anos mas sem qualquer efeito prático.

Daí que a acção desta mulher teve uma importância fundamental para que o assunto voltasse à agenda política internacional. Espero que a questão do “Saara Ocidental” nunca mais seja esquecida.

SBF

(Mais notícias: Diário de Notícias Online)

(Gravura: Wikipédia)

A TERRA TREMEU

Foi há 40 anos mas podia ter sido ontemA minha Mãe, aos pés da minha cama, apelando a todos os santos da sua devoção para que nos livrasse da desgraça. E aquele barulho de catástrofe que não acabava. Sentei-me na cama, como se tivesse uma mola debaixo de mim, e, com tudo a abanar, esperei que o tecto desabasse.

O tecto não caiu, mas ficou-me a imagem.

Esta noite, à 01h37m, por rara circunstância, ainda não me tinha deitado e apercebi-me do sismo que foi sentido em toda a península.

Comecei a ouvir um barulho em crescendo, que posso tentar identificar por palavras – “TAC, TAC, TAC, TAC”, cada vez mais junto, até ficar um ruído contínuo e, um primeiro abanão e, segundos depois, outro. Após o segundo abanão, o ruído diminuiu até desaparecer.

Apanhei um valente susto. Percebi logo o que era e corri ao quarto onde a Isabel dormia como se nada tivesse acontecido. Voltei para a cozinha, o gato sempre atrás de mim assustado também (apercebeu-se do abalo antes de mim, e depois subiu a uma mesa e ficou lá mais de uma hora), e acreditei que o perigo tinha passado.

Até quando é que vai ser só susto?

SBF

(Dicas, foto e + notícias: Diário de Notícias Online)

"CHOVIA EM SANTIAGO" PRATELEIRA DE LIVROS

A sombra do que somos
De Luís Sepúlveda

Chovia em Santiago no dia 11 de Setembro de 1973.

Luís Sepúlveda estava ao lado de Salvador Allende, quando o palácio de La Moneda foi atacado pelos militares do ditador Pinochet. Era um jovem de 24 anos e tinha-se tornado membro da guarda pessoal do Presidente. Foi nessa condição, que resistiu, como todos, ao golpe fascista liderado pelo general Augusto Pinochet.

Luís Sepúlveda tem uma vasta obra, toda publicada em Portugal, e este título, está nas prateleiras desde o passado mês de Outubro.

O romance, recorda o período do governo de Allende, pelas narrativas de cada um dos antigos militantes de esquerda derrotados pelo golpe e que, entretanto, já são sexagenários. Os quatro, combinam um encontro e preparam uma acção revolucionária que tinha sido iniciada em 1971, por um deles.

Luís Sepúlveda, nasceu no Chile em 1949, correu o mundo por força da condição de exilado, viveu na Alemanha e em França e actualmente tem residência fixa em Espanha.

É um dos autores que gosto e ler.

A edição é da Porto Editora e a 1ª foi em Outubro deste ano.

SBF

(Gravura: Capa do livro)

AÇORES DEBAIXO DE TEMPORAL

A Ilha Terceira foi a mais fustigada. Chuvas torrenciais inundaram as povoações da costa norte da Ilha durante boa parte da última noite.

Única nota positiva – Não houve danos pessoais, embora os prejuízos materiais tenham sido muitos.

SBF

(Dicas e fotos: Jornal I)

CAMPEÃS DA EUROPA DE CORTA-MATO

No que respeita às várias modalidades desportivas, a comunicação social portuguesa, continua a discriminar duma forma escandalosa, tudo o que não seja futebol.

A selecção nacional feminina de corta-mato, sagrou-se hoje campeã da Europa desta modalidade e, por isso, deveria ter tido o inerente destaque nos nossos noticiários de rádio e televisão.

Também amanhã não cobrirão as primeiras páginas dos jornais desportivos e, assim, continuamos a não valorizar o que temos de bom. VER NOTÍCIA DA BOLA ONLINE AQUI.

SBF

(Foto da Bola: Jéssica Augusto)

TONY BLAIR V/S SADDAM HUSSEIN

Em entrevista a transmitir na BBC amanhã, mas já hoje em parte divulgada, o Ex-Primeiro-Ministro Inglês, Tony Blair, reafirma a justiça do derrube do antigo líder do Iraque, Saddam Hussein.

O descaramento é tal, que o homem diz, claramente, que se o principal argumento não tivesse sido as “alegadas (e provado não existirem) armas de destruição maciça”, qualquer outro servia porque Saddam era perigoso na mesma.

É inacreditável! Como é que o mundo pode estar (ou esteve) na mão de figuras como esta e como o Bush? Arrastam-nos para uma guerra com consequências desastrosas e continuam a deitar veneno pela boca fora.

Por causa destas e por outras, é que estou muito pouco confiante no resultado de “Copenhaga 2009”. A rápida destruição do planeta pode andar por aí… Vamos ver se o Obama consegue fazer a diferença mas… é que, relativamente ao Afeganistão, as coisas não lhe estão a sair como ele queria.

SBF
(Dicas: Público online)

TERTÚLIA

Eu juro que queria encontrar algum facto relevante que tivesse a ver com a evolução da nossa sociedade, e, principalmente, com o tratamento adequado das finanças e economia do nosso País, levado a cabo pelo ilustríssimo “comentador, tertuliano, fiscalista, economista e não sei mais o quê” Dr. Medina Carreira, mas, não encontrei. Muitos livros publicados, passagem fugaz pelo poder nos anos setenta, e mais nada.

O convidado preferido de Mário Crespo, para o seu jornal das nove e para o programa “plano/inclinado”, teve esta terça-feira, mais uma oportunidade de ouro na habitual tertúlia no Casino da Figueira da Foz, para voltar a profetizar a desgraça para o nosso País.

NÃO PRECISAMOS DESTES “PROFETAS”.

De quem nos empurre para baixo, estamos fartos!

Ânimo e alguma confiança, é o que nos faz falta.

SBF

O PLANETA AGRADECE!

A unidade industrial que vai produzir 60 mil baterias para carros eléctricos a partir de 2011, é, sem dúvida, uma boa notícia, e o planeta agradece.

Paralelamente, o País vai ser inundado de postos de carregamento para os mesmos carros eléctricos que, tudo leva a crer, começarão a rodar com força, também a partir de 2011.

Todos estes investimentos para uso de energia eléctrica, em alternativa aos derivados do petróleo, só terão sucesso se a respectiva produção for limpa, ou seja; Hidroeléctrica, solar, eólica, biomassa, etc. e, acabar com o que ainda existe, de produção termoeléctrica.

No que respeita às energias renováveis, a “Cimeira de Copenhaga”, bem pode pôr os olhos em nós, porque, como é reconhecido por todos, estamos no bom caminho.

Já agora, a produção de eólica no nosso País, bateu recorde absoluto no mês de Novembro, contribuindo com 24% do consumo de electricidade, de acordo com informação da REN.

SBF

(Gravuras: Wikipédia)

PRATELEIRA DE LIVROS

Jesusalém
De Mia Couto

Pelo princípio e meados dos anos oitenta do século passado, durante a minha permanência em Moçambique, cruzei-me algumas vezes com Mia Couto. Na altura, já ele era director do “Notícias de Maputo”, o jornal mais importante do País. Foi a fase de jornalista. Embora tenha formação superior em biologia, a escrita foi o seu destino e, até hoje, construiu uma vasta obra que está traduzida em muitas línguas. Os prémios são muitos e não se limitam ao universo da lusofonia.

Mia Couto nasceu na Beira em 1955, permaneceu sempre em Moçambique, nos piores e nos melhores momentos, e hoje é um dos grandes da língua de Camões.

Silvestre Vitalício, seu filho Mwanito, condutor da narrativa desta “poética” prosa, são os alicerces da história que o autor desenvolveu à volta dos preconceitos, da exclusão e das memórias das guerras que lamberam o País. Consegue realçar o real valor da vida, que muitas vezes se esquece na lama do nosso mundo.

Edição da “Caminho”. Abril de 2009.

SBF

(Gravura: Capa do Livro)

NATAL E JANEIRAS


O nosso amigo Zé Barros e o Navegante não param.


O novo trabalho “Natal e Janeiras” já é sucesso.


Neste dia 10 de Dezembro, 5ª Feira, comprem o novo CD "Cantigas Tradicionais Portuguesas de Natal e Janeiras" com o Jornal “Público”.

SBF


Silvestre Félix

O MAGALHÃES QUE DÁ A VOLTA AO MUNDO…

Se as nossas crianças podiam continuar sem saber o que era um computador?

Se as nossas crianças podiam continuar sem saber o que era a internet?

Se as nossas crianças podiam continuar sem saber o que era a banda larga?

Se os Pais das nossas crianças podiam continuar sem ter dinheiro para comprar computador aos seus filhos?

Se o Estado Português podia continuar sem possibilitar o acesso das nossas crianças às novas tecnologias?

Se o Estado Português podia continuar sem facilitar o acesso das nossas crianças ao computador?

- LÁ PODER, PODIA, MAS NÃO ERA A MESMA COISA!

(…e os putos continuavam analfabetos…)

O sucesso do “Magalhães” e do “escolinhas” está atravessado na garganta de muita gente.

SBF


MÁRIO SOARES



Mário Soares fez ontem 85 anos.

É o conforto da nossa democracia.

É incentivo para o nosso futuro.

É o tempero da nossa liberdade.

SBF

(Foto: Wikipédia)


CIMEIRA DE COPENHAGA

É, talvez, a última oportunidade do planeta TERRA.

Definitivamente, o uso de energias alternativas, como único e último remédio para conseguirmos salvar o planeta tal como o conhecemos, é o caminho certo. Os combustíveis fósseis têm os dias contados, e os grandes interesses económicos a eles associados, não podem continuar a impor as regras.

Vamos ver o resultado da “Cimeira de Copenhaga”, que hoje começa.

A ida de Obama à cimeira, é um bom pronúncio. Acredito que o Presidente dos Estados Unidos vai associar-se e comprometer-se com medidas de defesa do ambiente.

SBF

ARY DOS SANTOS


Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo dromedário
fogueira de exibição
teorema corolário
poema de mão em mão
lãzudo publicitário
malabarista cabrão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

José Carlos Ary dos Santos é um artista MAIOR! Temos tendência a identificá-lo só com a revolução dos cravos – mas não é correcto. Ary dos Santos, é um poeta revolucionário, o que é bem diferente.

Nasceu em Lisboa a 7 de Dezembro de 1937 e, em 1963, já está na rua a sua primeira obra; A Liturgia do Sangue. Nunca mais parou e depressa começou a vincar o seu talento na poesia da nossa praça. Escreve letras de músicas para os cançonetistas mais conhecidos da época; Simone, Tordo, Tonicha, Carlos do Carmo, Amália Rodrigues, etc., etc. Vence, em 1969, o Festival da Canção com a Desfolhada Portuguesa, musicada por Nuno Nazareth Fernandes e cantada por Simone de Oliveira, vence outras edições do mesmo festival com Tordo e Nuno N Fernandes.

Morreu a 18 de Janeiro de 1984.

Esta noite realizou-se no Coliseu dos Recreios um espectáculo de Carlos do Carmo homenageando o poeta 25 anos depois da sua morte. (VER AQUI OS PORMENORES)

SBF

(Foto: DN online)

ESTRADAS DE PORTUGAL V/S TRIBUNAL DE CONTAS

Para o comum dos cidadãos é incompreensível o que está a acontecer – Obras adjudicadas e em curso, e, passado um ano, aparece o TC a negar o seu OK para obras que começaram há muitos meses.

Que “raio” de Leis e regulamentos são estes, aprovados decerto pelos “doutos” deputados na nossa Assembleia da República, que permitem esta incongruência?

Se, de acordo com a Lei, é necessário visto do TC, não devia ser possível ao Governo ou a qualquer outra entidade em questão, validar o resultado dos concursos públicos, e, muito menos, adjudicar e dar luz verde para o início das obras, antes de existir o tal visto. É claro que o TC não pode demorar um ano ou mais a efectuar esta diligência.

Bom, o que sabe, é que existe (ou existiu) o risco de determinada obra começar e acabar, e só depois aparecer o célebre visto ou a sua negação.

E agora? Como é? Param tudo? Desfazem o que está feito? Isto é um País, não é?

“SANTA” INCOMPETÊNCIA!

Resolvam depressa a porcaria que fizeram, ou ainda vamos todos à falência.

SBF
(Foto: Jornal I - online)

O PROCESSO

O processo “face oculta” está cada vez mais oculto.

Então, o arguido mais mediático e interlocutor de Sócrates nas “tais” escutas, só está indiciado por tráfico de influências? Considerando até a subjectividade da noção de – “influência”, temos que admitir que não é lá grande coisa, ou seja, é fraquinho o indício para tanto barulho.
SBF

DE LISBOA PARA O MUNDO

Boa parte do mundo esteve ontem com os olhos postos em Portugal.

IXX Cimeira Ibero-Americana
e
Cerimónia da entrada em vigor do Tratado de Lisboa
SBF

RESTAURADORES

Em 1 de Dezembro de 1640, voltamos a ter Rei português e residente em Portugal. Na verdade, os Filipes nunca estiveram em Lisboa. Neste sentido, foram negligentes, para eles, as “favas” tinham sido contadas e não era preciso ter mais preocupações. Só que, a forma como tratavam os outros reinos por eles conquistados, não se aplicava a Portugal com mais de 400 anos de existência como pátria. Para além disso, o império português, era muito semelhante, em todos os aspectos, ao espanhol e, por via da sua localização universal, ia sendo atacado por potências emergentes, inimigas dos espanhóis, criando algumas situações irreversíveis.

Em 1640, em vez do D. Sebastião aparecer numa manhã de nevoeiro, foi um grupo de conspiradores nobres portugueses, que derrubou o poder delegado de Filipe III em Portugal, e fez com que o Duque de Bragança, fosse proclamado Rei de Portugal com o nome de D. João IV, iniciando assim a dinastia de Bragança que havia de continuar até ao fim da monarquia em 1910 e que ainda perdura como herdeira da coroa portuguesa, na pessoa de D. Duarte Pio.

O enraizamento popular da data é visível na quantidade de associações, clubes e outras organizações com o nome de “1º de Dezembro”. Sem procurar, aqui em Sintra, conheço dois clubes; O de S. Pedro (Sociedade União 1º Dezembro) e em Rio de Mouro (Sociedade 1º Dezembro).

SBF

(Foto: Wikipédia)

MELO ANTUNES

Todos os Presidentes da República da nossa democracia, à excepção do actual, estiveram presentes na merecida homenagem a Melo Antunes, organizada pela Associação 25 de Abril durante este fim de semana.

Todos já vamos estando habituados a que o actual PR não goste de pôr o cravo na lapela nas comemorações do 25 de Abril, que não goste destas mesmas comemorações, que, como aconteceu mais uma vez, nunca está presente em eventos organizados ou promovidos pela Associação 25 de Abril. Este PR, não esconde a aversão a tudo o que, duma maneira ou doutra, possa levar os portugueses a pensar que ele simpatiza com os protagonistas ou com a simbologia do 25 de Abril.

Lembro-me da sua acção impeditiva, quando era Primeiro-Ministro deste País, de Ernesto Melo Antunes poder ser o alto responsável pela UNESCO.

SBF

COMPRAS DE NATAL

Já começou!

Mesmo em crise, quem o tem (dinheiro) no bolso, não perde tempo. É vê-los em bichas intermináveis de carros a caminho dos shopping’s e de todos os locais onde se possa consumir alguma coisa para pôr na chaminé na noite de Natal.

É a época do ano em que a expressão – deitar dinheiro à rua – é certeira, e nos obriga a reconhecer que muitas das nossas queixas podiam ser caladas com uma atitude mais cuidadosa e racional, no que respeita às compras de Natal.

São muitas centenas de milhões de euros que se evaporam num abrir e fechar de olhos em prendas inúteis para o dia-a-dia das nossas vidas.

As nossas crianças são bombardeadas com uma bateria de brinquedos sem interesse e sem qualquer valor educativo, muitas vezes até – antes pelo contrário. Duma forma geral, correspondem só ao apelo da publicidade televisiva.

Nestes dias, os anúncios de: perfumes, jóias, electrodomésticos, telemóveis, PC’s, relógios, brinquedos, etc., etc., que repetem até à exaustão, tem o seu efeito e correspondem ao interesse de quem produz e vende.

Como faço o possível por consumir só o que preciso, a agitação destes dias incomoda-me… e obriga-me, (quando consigo) a passar ao lado…

SBF

(Gravura: Wikipédia)

A FALÊNCIA DO DUBAI

A dívida do Dubai atinge os 80 mil milhões de dólares para um PIB de 37 mil milhões. Não muito longe de metade das receitas do Emirato, até 2008, eram provenientes do sector imobiliário e da construção. As construções megalómanas transformaram o Dubai num imenso estaleiro nos últimos quinze anos. Com o rebentamento da bolha do imobiliário, os preços caríssimos do Emirato, que iam sustentando os fundos financeiros com chorudos lucros, caíram para metade.

O petróleo não dá para nada, representa só 6% e o promissor desenvolvimento industrial ainda não está suficientemente musculado para compensar as perdas no imobiliário.

Assim sendo, o incumprimento dos compromissos com a dívida era inevitável e aconteceu. O mundo financeiro e as bolsas abanaram mas, com o previsível apoio do vizinho Abu Dhabi, talvez a coisa se recomponha. É, no entanto, mais uma boa lição para os Estados que, na sua maioria, foram muito pouco reguladores.

É provável que o Dubai continue na moda, mas para mim continua a parecer-me uma cidade de plástico. E aqui, aquela máxima é verdadeira: Quanto maior se sobe, maior é a queda.

SBF

(Fotos: Wikipédia)

EM SINTONIA COM O SEU PARTIDO

Torna-se cada vez mais difícil ouvir aberturas de noticiários de rádio ou televisão. É um corrupio de “face oculta”; São os arguidos, são os juízes, os procuradores, os advogados, e depois são os comentadores, os “pivôs”, os políticos, o empregado de mesa da pastelaria da esquina, o almeida, etc, etc.

Nunca mais acaba de palpites, sempre com muito cuidado, tem de estar de acordo com a força partidária da simpatia de cada um. Para o caso não importa muito se é culpado, inocente, ou se o PGR agiu certo e se o PSTJ tem razão – O que interessa é estar em sintonia com a posição que o seu partido defende.

Eles pensam que somos todos burros!

SBF
(Foto: Wikipédia)

25 DE NOVEMBRO

E os cravos continuaram nos canos das espingardas!

Para mim, este dia de Novembro, tem sempre falta de qualquer coisa. Provei essa falta de… qualquer coisa, com os meus 21 anos, é claro que hoje o tempero é diferente. Em 1975 tudo era mais puro, não havia tanta refinação, e os sabores eram mais autênticos.

O 25 de Novembro de 1975, corresponde ao final do que historicamente se conhece por PREC (Processo Revolucionário Em Curso), iniciado com a Revolução dos Cravos em 25 de Abril de 1974. Ainda não reza na história tudo o que se passou em Novembro de 1975. Objectivamente o que aconteceu foi que; os pára-quedistas, afectos à ala mais à esquerda no MFA, identificada com Otelo Saraiva de Carvalho e o COPCON, ocuparam instalações militares fazendo exigências de toda a espécie, afrontando as chefias e o VI Governo presidido pelo Almirante Pinheiro de Azevedo. Do outro lado estava a outra ala moderada do MFA, conhecida por movimento dos nove e, aparentemente orientada pelo Major Melo Antunes.

Estas duas sensibilidades, que do ponto de vista político têm a fronteira no PS para a esquerda e no PS para a direita incluindo o próprio PS, estiveram muito perto de se envolverem numa luta fratricida pelo poder. A guerra civil esteve por um fio.

Quando parecia estar tudo perdido, só faltava atirar o primeiro tiro, surge a autoridade do General Costa Gomes, Presidente da República, chamando a Belém os principais inspiradores das correntes em litígio, conseguindo concentrar em si o comando das operações, declarando o estado de sítio e evitando o banho de sangue dado já como inevitável.

Independentemente das movimentações militares, comandadas no terreno por Ramalho Eanes e que nalguns casos se excedeu no zelo, o grande responsável pela NÃO vitória de nenhum dos lados, foi, o Já falecido, Marechal Costa Gomes. A história, ainda não fez contas com este homem e começa a ser tempo de o fazer.

Eu, militar naquela altura, como acontecia com a generalidade da tropa, estava num dos lados e, como é normal, estava convencido da minha verdade. (O meu 25 de Novembro).

SBF

PRATELEIRA DE LIVROS

Caim
De José Saramago

Este fim de semana, peguei e li o badalado “Caim”. Do ponto de vista literário, que é, o que, no Saramago me interessa, gostei, como acontece com boa parte dos seus livros.

Quem fez catequese em criança como eu, personagem de nunca mais se esqueceu foi de Caim mais o seu irmão Abel. A sua crueldade, ao matar o irmão, fez-me sempre muita confusão, assim como as razias de Sodoma, de Us, a pátria de Abraão e do próprio dilúvio. Lembro-me de ter alguma dificuldade em conciliar a imagem dos anjos com espadas de fogo, e a ideia que tinha do anjo bom e protector. As personagens do antigo testamento são assim no que conseguimos perceber pela leitura, e, bem cheio de enigmas, para que a religião possa explorar sem limite as alegadas mensagens.

A polémica que Saramago alimentou, antes e durante o lançamento do livro, não teve sentido nenhum, mas que ajudou a vender a obra, lá isso ajudou.

Pormenor importante – Para plena satisfação com a leitura de “Caim”, é importante conhecer minimamente o antigo testamento, ou, pelo menos, algumas partes.

Toda a gente que frequenta as prateleiras das livrarias, com certeza reparou, como eu, a exposição de atraentes edições de bíblias, algumas vezes até, perto do “Caim” de Saramago.

Primeira edição da “Caminho” em Setembro de 2009.

De José Saramago já tudo se sabe. Vive no arquipélago das Canárias na ilha de Lanzarote e defende a criação da Ibéria (união de Portugal e Espanha).

SBF

(Gravura: Capa do livro)

ATÉ À OUTRA MARGEM

Daquela
Ver mapa maior'>janela do terceiro andar, adivinhava o reboliço do mercado da ribeira, para lá das águas furtadas do “Bensaude”, pela dos Remolares e até à da Ribeira Nova. Conseguia até sentir o cheiro das frutas, das flores, das hortaliças e principalmente do peixe fresco que na hora de almoço, virava “fresco na brasa”.

Pela janela do terceiro andar viajava de “cacilheiro” até à outra banda do petisco no cais de Cacilhas. Ia e vinha quantas vezes me apetecesse. No Tejo ainda navegava uma falua que no tempo ficou parada e muitas vezes contemplada.

Naquela janela do terceiro andar sonhei muitas vezes. Com os cotovelos naquele parapeito os sonhos eram sempre bons, não me lembro de nenhum pesadelo. O Sá Rodrigues ajudava, e também o Silva, e o Caparica, e o Vicente, e a Celeste, todos… todos… por isso ainda passeiam pelas lembranças boas da minha vida.

Pela janela daquele terceiro andar conseguia agarrar as energias boas e deitar fora as más. Em frente, pelas águas furtadas e telhados de estendais postos e cheios de roupa a secar, inventava os corpos que com elas se cobriam.

Daquela janela do terceiro andar, há tanto tempo contado em anos eu imaginava o tamanho do universo, e nós somos tão pequeninos…

SBF

OS “EQUÍVOCOS” NA NOSSA JUSTIÇA

“Se no decurso de uma escuta legalmente autorizada for interceptada uma conversa telefónica em que intervenha; Presidente da República, Presidente da Assembleia da República ou Primeiro – Ministro, o Juiz que a ordenou, deve apagá-la, em virtude de, conforme a Lei, só o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, ter competência para autorizar a escuta referida.”

Ainda assim, e perante o atropelo descarado à Lei, o PGR analisou as ditas em que intervinha o Primeiro – Ministro e, ao contrário do que disseram e escreveram, o Procurador e o Juiz de Aveiro, considerou não haver indícios de quaisquer crimes imputados ao Engº José Sócrates na totalidade das escutas.

O que também não dá para acreditar, é o facto de não ter sido acatada a ordem do PSTJ de, na sequência da nulidade das escutas, não terem procedido à destruição do respectivo material.

Afinal quem é que anda a prevaricar?

Na imprensa de hoje também li que, afinal, no interrogatório, o Dr. Armando Vara não foi confrontado, em nenhuma das escutas, com o tal pedido de dez mil euros. Mas então como é? Este pedido de dinheiro foi apresentado à opinião pública como condenação antecipada do homem e agora já não é bem assim?

Há dias, em que acho haver só uma solução – Apagar a “justiça” toda, e começar tudo de novo, porque esta já não tem arranjo.

SBF

MENTIRA NO FUTEBOL

No futebol, e não é só em Portugal, a verdade do jogo, é constantemente deturpada. Os árbitros são humanos e, como todos os outros, também erram. No entanto, fica sempre a dúvida da razão do erro, como também é natural.

Em pleno século XXI, é inadmissível que a selecção francesa passe à fase final do mundial de 2010, à custa de um golo irregular.

Como acontece noutras modalidades, também no futebol, os resultados podem ser validados com o auxílio das novas tecnologias. São segundos – É só rever o lance em questão!

Quem verdadeiramente gosta de futebol, não pode aceitar que as coisas continuem como estão.

Os culpados estão no poder, são os dirigentes das grandes federações mundiais.
Os atletas, umas vezes são vítimas e outras, parte da culpa. Se fossem sempre castigados, corrigiriam a sua postura em campo.

No caso em apreço, o mais caricato é que o próprio atleta confessa que “ajudou com a mão”.

Com este estado de coisas, ninguém tem de admirar-se que os adeptos façam as asneiras que costumam fazer quando as coisas não correm de feição.

SBF

(Foto AP – Google – RTP)

MUNDIAL 2010 NA ÁFRICA DO SUL

O apuramento da selecção portuguesa para o mundial de futebol na África do Sul do próximo Verão, é uma boa notícia para todos os portugueses, estejam onde estiverem. Duma maneira muito particular, estarão radiantes os portugueses que vivem em Moçambique e na África do Sul mas também os Moçambicanos e os Sul-Africanos. Todos vão ter oportunidade de assistir ao vivo e cores, às exibições dos nossos craques.

Registe-se – mesmo com este resultado muito positivo, os comentários proferidos por alguns detractores do Professor Carlos Queirós.

“Os cães ladram e a caravana passa!”

Carlos Queirós, merece este êxito. Continua a ser o “Pai” do futebol português moderno.
Os artistas em palco, aqui. e aqui também.
SBF

(Foto e videos: Sapo)

PRATELEIRA DE LIVROS

Império à Deriva
De Patrick Wilcken


Ao longo da nossa história autónoma e independente de 866 anos, tomando como começo, o tratado de Zamora em 1143, tivemos duas ocasiões principais em que o “Império” andou à deriva: A dinastia filipina entre 1580 e 1640, e a época das invasões francesas prolongada por mais algum tempo, de 1808 a 1821 em que a corte portuguesa esteve no Brasil fugindo assim aos sucessivos ataques napoleónicos.

Foi sobre um desses períodos, que Patrick Wilcken, australiano, escreveu a interessante narrativa “Império à Deriva”. Patrick cresceu em Sidney, fez os seus estudos na Austrália e em Inglaterra onde também trabalhou para a Amnistia Internacional no departamento da África Portuguesa tendo, ao mesmo tempo, estabelecido relações profissionais com a imprensa escrita, designadamente com o “The Guardian”, onde desenvolveu trabalhos sobre o Brasil e, por isso, viajou algumas vezes ao Brasil. Foi nessas estadias, que foi tomando conhecimento da história do País, e ganhou inspiração para escrever o “Império à Deriva”.

Às sete da manhã do dia 29 de Novembro de 1807, no porto de Lisboa com a barra do Tejo à vista, é dada ordem para levantar âncora, e assim, a horas do comandante Francês Junot, entrar em Lisboa, o Príncipe Real D. João e a sua corte, rumavam ao Brasil e a bordo das suas naus levava 10 000 aristocratas, ministros, padres, criados, militares, a carruagem real, um piano e toneladas de livros e documentos. Passados dois difíceis meses de viagem, a corte portuguesa chegava ao Brasil, com falta de banho, esfarrapada e cheia de piolhos.

A cidade do Rio de Janeiro, dum momento para o outro promovida a Capital do Império, depressa se transformou na “Versailles Tropical”. Neste livro passam muitas personagens, com destaque para o Príncipe D. Pedro que viria a dar o “Grito do Ipiranga” e a proclamar a Independência do Brasil, a sua avó D. Maria I, a louca, O Príncipe regente D. João, que depois da morte de D. Maria foi D. João VI, sua mulher, a venenosa Carlota Joaquina e o filho mais novo D. Miguel, que seria o Rei absolutista D. Miguel I, arredado do poder pelos liberais tendo à cabeça o seu irmão D. Pedro IV de Portugal e D. Pedro I do Brasil.

Império à Deriva”, é de ler e chorar por mais.

Edição da “Civilização Editora”, a segunda, em Novembro de 2005.

SBF

(Gravura: Capa do Livro)

DIA MUNDIAL DO NÃO FUMADOR

Já não me consigo imaginar, a entrar num restaurante, numa pastelaria, ou até num simples elevador, e ser engolido por aquela nuvem de fumo de tabaco que fazia parte de todas as nossas vidas.

Naqueles meses anteriores à entrada em vigor da lei anti-tabaco, via com dificuldade a sua eficácia, e até admitia uma curta duração da mesma. O facto é que entrou em vigor, mantêm-se, e é completamente irreversível. Mesmo alguns fumadores, acreditam nos méritos da legislação e conseguiram adquirir novos hábitos de respeito pelos que não fumam.

Como qualquer outra dependência, o organismo têm a tendência para aumentar o consumo e, inicia depressa o processo de destruição. Não falta provar nada – O tabaco é responsável por muitas das doenças que nos atacam e, em muitos casos fatais: Cancro do pulmão que é o mais frequente, mas também noutros órgãos vitais, enfarte do miocárdio, AVC's, etc, etc.

Sei do que falo porque fui fumador durante muitos anos, e, em família, ainda tenho fumadoras activas, que, como acontece com tanta gente, não conseguem seguir o meu exemplo.

Sem tabaco, o ambiente é mais puro e o ser humano é mais saudável!

SBF
(Gravura: Wikipédia)

NO BRASIL - NAVEGANTE E O ZÉ BARROS



Para além do indicado em cima, a acrescentar ainda:

21 de Novembro - Aquiraz

22; 23 e 24 de Novembro - S. Paulo
Entretanto, é notícia também, o lançamento de mais um álbum do grupo no próximo dia 1 de Dezembro com o título: Natal e Janeiras.






Muitas felicidades para a digressão por terras brasileiras, e, se algum seguidor deste blogue, assistir ao espectáculo, ficamos todos à espera que relate aqui a experiência.

SBF
(Algumas dicas do site: As Farpas da Abrunheira)

ANSIEDADE

A angustiante passagem do dia, a hesitação da meteorologia, chove… não chove… o coração nas mãos como se a chuva se transformasse em pedregulhos. A força de reacção vai diminuindo, o corpo pesa mais, os pés demoram mais tempo a caminhar, tudo é mais difícil porque nada nem ninguém facilita, só complicam!

SBF

DEIXAS, DE FIM DE SEMANA

Água na Lua e petróleo em Portugal. Notícias para alegrar o espírito, que bem precisamos.

De investigação em investigação, agora é a vez do Magalhães. Parece que também foi apanhado nas escutas e agora vai ter de explicar, muito bem explicado, como é que conseguiu dar a volta ao mundo.

O seleccionador da nossa, dizia antes do jogo de hoje: “Cheira bem, cheira a África do Sul”. Não sei, e espero estar enganado, mas pelo resultado do primeiro confronto com a Bósnia, em vez de cheirar bem, está a começar é a cheirar muito mal.

Os nossos vizinhos espanhóis estão a passar um mau bocado com a crise, mas, estão a reagir, tentando compensar ao máximo os cidadãos em geral, e aplicar bem a máxima de “A dificuldade aguça o engenho”, lançando a iniciativa “o prazer está nas tuas mãos”. É verdade, trata-se da divulgação de uma “actividade lúdica” – A defesa da masturbação.

SBF

ONDE ESTÃO AS CERTIDÕES?

Eu, estou enjoado com tanta “face oculta”. Tenho a certeza que muitos mais portugueses sentem o mesmo.

Estou enjoado com tanto “diz que disse”, “é uma espécie de escuta”, “o alvo é o outro”, “as certidões vêm às mijinhas” e por aí fora.

Não acontece mais nada neste País?

Com a velocidade a que anda a nossa justiça, daqui a 20 anos, quando tudo estiver prescrito, talvez a gente saiba qualquer coisa.

Quando ouço falar em certidões que não chegam, dá-me voltas no estômago.

No final da primeira década do século XXI, onde estão as novas tecnologias na nossa justiça? Eu sei que é difícil informatizar este pessoal dos tribunais, do Ministério Público, etc, mas que diabo, não há meio de substituir uma certidão (para não falar noutras coisas) em papel, que vem andando, e devagarinho, por correio interno de Aveiro ou Coimbra para Lisboa, por um qualquer “PDF” instantâneo? Não é seguramente por uma questão de segurança, porque aquilo que interessa, passa na hora, para a comunicação social.

É inaceitável que dum gabinete para o outro, por vezes no mesmo edifício, certas diligências demorem semanas ou meses, só porque tudo tem de ser «transcrito, validado, verificado, conferido, despachado, cosido com agulha e linha na capa, etc, etc».

As resistências ao “simplex” são mais que muitas, e, à conta delas, vamos levando com a “face oculta” e ainda por cima baratinha. Valores… valores, dez mil euros?? Só ??

SBF

D. PEDRO V DE PORTUGAL

Faz hoje, 11 de Novembro e dia de S. Martinho, 148 anos que morreu, com 27 anos, D. Pedro V de Portugal.
Filho de D. Maria II e de D. Fernando II.

Mesmo com um reinado muito curto, a nossa história reza e liga alguns acontecimentos importantes a D. Pedro V – Em 1855, ano da sua aclamação, é inaugurado o primeiro telégrafo eléctrico português, no ano seguinte, o caminho de ferro de Portugal, faz a sua primeira viagem de Lisboa até ao Carregado, e o passageiro mais importante era precisamente D. Pedro V. É também durante o seu curto reinado que se iniciam as carreiras marítimas regulares entre Portugal e Angola. Foi também por sua influência e financiamento que foi criado o Curso Superior de Letras. O Rei fazia com frequência visitas a hospitais, inteirando-se das maleitas dos internados, especialmente dos mais carenciados. As vertentes da assistência social e da saúde pública, estavam muito presentes nas preocupações do casal Real. Criaram instituições de auxílio aos mais necessitados e alguns hospitais, como exemplo, o Hospital de D. Estefânia, nome da Rainha, que ainda hoje é uma referência nacional.

Um reinado só de oito anos, mas altamente produtivo.

É unânime, que o seu Pai D. Fernando Saxe-Coburgo-Gota, Rei consorte D. Fernando II, teve forte influência na sua educação e ensinamentos para a governação. D. Fernando II, homem culto e experiente, foi regente do reino em várias ocasiões antes da morte de D. Maria II que aconteceu em 1853, e também, quando ficou viúvo e até os 18 anos de D. Pedro em 1855.

Foi D. Fernando II que mandou construir o actual Palácio da Pena na serra de Sintra. Era um homem dedicado às artes e por isso ficou conhecido em Portugal pelo Rei-Artista. Para além das regências efémeras, sempre fez o possível para se manter afastado dos assuntos do Estado. A maior prova do seu desinteresse é o facto de, em alturas diferentes, lhe terem vindo parar às mãos dois tronos – A Grécia e a Espanha. Recusou ambos.

Também na serra de Sintra, influenciou e incentivou o Estado e os proprietários na florestação da maior parte das suas encostas. A meados do século IXX, a nossa serra era bem mais despida do que é hoje. Sintra e a beleza verdejante deste património mundial, teve muitos responsáveis mas, seguramente, o maior foi D. Fernando II.

Para quem teve um Pai como este, não admira que, em apenas 8 anos de reinado, tivesse feito tanta coisa boa, contribuísse concreta e objectivamente para o desenvolvimento e inovação do País, e, ao mesmo tempo, conseguisse a admiração, o respeito e o carinho do povo anónimo. Os nossos historiadores, não têm valorizado com justiça o Reinado de D. Pedro V.

SBF

(Foto: D. Pedro V de Portugal - Wikipédia)

PRATELEIRA DE LIVROS

A Cidade e as Serras
De Eça de Queirós

De entre os livros que li do Eça, “A Cidade e as Serras” ficou-me sempre num lugar especial. Talvez pela diversidade de locais percorridos pelo andamento da obra, talvez pela descrição das Terras e das paisagens que Eça de Queirós fazia primorosamente. “A Tragédia da Rua das Flores”, decerto por ser publicado já no nosso tempo e aparecer como desvendar de um segredo, também conquistou o meu gosto literário em contraposição, por exemplo, com “Os Maias”.

O amigo Jacinto, na sua quinta e casa senhorial de Tormes, na Estremadura, no Alentejo ou nas duas Beiras, para as bandas do Tua e nos pinhais que chegavam até Âncora. De todo o lado tirava rendimento directamente da produção ou através de foro. E em todos os sítios, tudo era melhor e mais bonito, mas mesmo assim, nada que se comparasse a Paris.Jacinto ainda falava de regressarmos ao 202 dos Campos Elísios, por dois ou três meses, mas… lá acabei por regressar eu sozinho.”

Ler “A Cidade e as Serras”, é um exercício de regressão ao Portugal do último quartel do século IXX.

A “Biblioteca de Editores Independentes” publica em formato “de bolso”, obras maiores e, em Março deste ano de 2009, pôs nos escaparates “A Cidade e as Serras”. Como este título, sem perceber porquê, fugiu da minha prateleira de livros, comprei, e fiz com gosto outra vez, este passeio de borla, por um Portugal que já não existe. Façam como eu!

Eça de Queirós, morreu em Paris com 55 anos em 1900. Este livro foi portanto publicado já depois da sua morte em 1901.

SBF

(Gravura: Capa do Livro digitalizada)

9 DE NOVEMBRO

O dia 9 de Novembro, é para os Alemães, sinónimo de libertação, de reencontro com os familiares, com os amigos e com os vizinhos. Este dia de 1989 foi o início duma nova sociedade germânica, foi o início duma nova democracia, foi o início duma nova Europa. Ontem vimos quanto os Alemães festejaram.

Por ironia, ou por mera coincidência, um outro 9 de Novembro também ficou marcado na história dos povos germânicos. As milícias nazis do terceiro Reich de Hitler, perseguiram e penderam muitos milhares de Judeus em toda a Alemanha e Áustria. Destruíram sinagogas, lojas e habitações e interpelaram todos os que se identificavam como Judeus ou seus simpatizantes. De caminho mataram a “sangue frio” 91 descendentes de David. Levaram para campos de concentração entre 25.000 a 30.000 Judeus. 7.500 lojas e 1.600 sinagogas foram reduzidas a ruínas.

A seguir à inquisição católica, este foi o período contemporâneo, em que os Judeus sofreram os horrores da perseguição e expulsão das suas casas, separação de famílias, o sofrimento e a morte. A humanidade continua com uma grande dívida ao Povo Judeu!

Todo este terrorismo decorreu só numa noite. Exactamente, a “noite de cristal” como os nazis a identificaram. A noite de 9 de Novembro de 1938.

A atitude nazi desta noite, deixou muito claro, para os que ainda tinham dúvidas, quais eram as verdadeiras intenções de Hitler. Revelar-se-iam na sua plenitude, nos anos seguintes.

A “noite de cristal” também é uma lição de história e, é nessa perspectiva, que deve ser recordada. Em 1938, não houve quem impedisse Hitler de esticar tanto a corda, e em 9 de Novembro, já era tarde demais.

Para comemorar, que os Alemães e todos os Europeus o façam, com festa e alegria e em homenagem ao 9 de Novembro de 1989.

SBF

OS POVOS DA EUROPA

Como bem sabemos, a queda do Muro, marcou a nossa história contemporânea muito para além de Berlim e da própria Alemanha unificada.

Arrastou a queda de muitos outros muros em forma de “gente” ou de “regime”, que, como pedras de dominó, foram caindo uns atrás dos outros.

A esperança era muita, e, na mente da maior parte dos cidadãos dos países do Leste Europeu, estavam a um simples passo da felicidade infinita, em sociedades que conheciam por “capitalistas”, onde o consumismo sem limites, do essencial, e principalmente, do supérfluo, era razão suficiente, para querem esquecer rapidamente a longa noite do “comunismo”.

O muro caiu, os regimes também, a democracia ocidental implantou-se, e hoje, a maior parte, fazem parte, de pleno direito, da União Europeia. E os Povos? Os cidadãos? A população desses Estados? Tem todos os problemas resolvidos? Claro que não, pois se nem os da Europa ocidental os têm! Ou seja, ainda há muitos “muros” para derrubar. E mesmo daqueles de pedra e cimento também ainda há; No Chipre e na Irlanda.

A grande mais valia é estarmos todos no mesmo barco. O risco de guerra (quase permanente ao longo dos séculos) é agora praticamente inexistente. A excepção que confirma a regra, foi a da ex – Jugoslávia e a região do Cáucaso.

Esta crise universal veio confirmar a vantagem dos Povos Europeus estarem unidos. Se a União não estivesse ainda neste patamar, poderíamos estar a assistir hoje, a uma Europa devastada por outra guerra.

SBF

(Foto: Pedaço original do muro de Berlim que trouxe em Junho de 1990)

ESTA SEMANA

Em semana dominada pelo lixo, sucata e resíduos perigosos, oratórias de significado valor, proferidas por interessantes figuras de primeira linha do nosso panorama político, amizades mal escolhidas e contaminadas com venenos produzidos em afamados laboratórios de moradas em parques industriais saídos de usados condomínios reciclados.

Nestes dias também se ficou a saber que “eles andam por aí”. É verdade, se ouvir alguém a falar em lixo, sucata, resíduos ou reciclagem, passe para o outro lado da rua, e, se ainda assim, sentir ruídos estranhos no telemóvel, pelo sim pelo não, deite-o fora na primeira oportunidade, mas antes certifique-se de que ninguém está ver.

Em semana chuvosa, de vento e frio espreitando, sem sol para as vedetas do Festival do Estoril, e o Francis Copola que completará o rol dos famosos das imagens que na tela se projectam no imaginário colectivo.

Esta é também a semana comemorativa do 20º aniversário da queda do muro. Já lá vai muito tempo contado em vinte anos em que os Alemães tiveram o 25 de Abril deles. Acabaram com o muro e os regimes do Leste vieram todos abaixo.

Também nesta semana, o Paulo Bento fez o que muitos esperavam – deitou a toalha ao chão. Não tinha alternativa, os detractores ganharam finalmente. O fulano da SIC há mais dum ano que teimava e lá conseguiu.

Então e o Euromilhões? Não pode ser! Não saiu nada de jeito em Portugal? Não pode ser! Tenho de protestar com a SCML, então como é? Jogo, jogo, jogo e não me sai nada?

SBF

CAETANO VELOSO SOBRE LULA DA SILVA

“Ele é analfabeto, não sabe falar, e quando fala é vulgar e grosseiro.”

Isto é só uma amostra do que disse Caetano Veloso, referindo-se ao Presidente Lula da Silva, em entrevista ao jornal “Estado de São Paulo”. Na edição online, pode ver-se hoje alguns comentários acerca desta entrevista, e as opiniões dividem-se, ou seja, também no Brasil, tal como em Portugal, há muito complexo de superioridade de braço dado com os doutorados, professores e outros cursados.

O Presidente Lula da Silva, foi eleito para este segundo mandato com uma elevada percentagem. Visto de fora, associamo-lo com o grande crescimento económico brasileiro e com a conquista de lugares nos palcos internacionais como primeira economia emergente, (exemplo, o G 20) o Presidente Lula tem sido um factor determinante na estabilidade regional, é uma voz consultada e ouvida para as questões do diálogo norte/sul e tem dado importante impulso ao reconhecimento da CPLP como grande organização lusófona no contexto das nações.

Com esta contribuição, em que os primeiros beneficiados são os brasileiros, como pode um Caetano Veloso que, quando muito, é bom compositor e sabe cantar, dizer tais barbaridades só porque o homem não é doutorado e teve a profissão de operário? Pode até, politicamente não ser seu apoiante, e ter uma postura adversária, tem esse direito, agora ser, ele sim, grosseiro nas afirmações que faz, só lhe fica mal.

SBF

ANTÓNIO VARIAÇÕES

Lembro-me bem daquela figura excêntrica, apresentada pelo Júlio Isidro no programa Passeio dos Alegres aí por 1981 ou 82. E quando começou a cantar? Bom, era mesmo descoberta do Júlio Isidro, só ele!

Como todos os portugueses em geral, também eu fiquei fã do António Variações. Foi o início de uma carreira fulgurante, embora curta, mesmo muito curta, o António Variações morreu a 13 de Junho de 1984.

Passados 25 anos, é como se ainda estivesse fisicamente entre nós. Somam-se os êxitos de reposições, compilações e versões das suas composições, e não há português, de pelo menos três gerações seguidas, que não conheça e não goste das músicas e letras do Variações.

Na próxima 5ª Feira, dia 12 de Novembro, vão ser leiloados objectos pessoais do Artista. Serão lembranças especialmente dedicadas aos fãs e de bases de licitação acessíveis. Vão desde os € 20.00 aos € 1 000.00, e andam pelas fotos, diapositivos, pequenas peças de roupa, cassetes de vídeo, etc, etc.

Sempre achei um bocado sem sentido, por um lado, as pessoas gostarem de ter objectos de outros, muitas vezes sem haver qualquer tipo de intimidade, por outro, os próprios ou os herdeiros, desligarem-se de coisas que fizeram parte do seu (ou de quem representam) dia a dia.

Em qualquer dos casos, sempre é um dia em que o Variações vai ser muito lembrado. Vai ser entendido e considerado como mais uma homenagem ao Artista. Sendo por aí, bem hajam!

SBF

(Foto: Internet
)

CONTA E MEDIDA

Desde ontem, que se sucedem elogios, alguns até “rasgadíssimos”, a Armando Vara, depois de ter pedido a suspensão do cargo na administração do BCP.

Logo que o seu colega Presidente afirmou, perante os jornalistas, que a situação prejudicava a imagem do banco, ele não tinha outra alternativa senão fazer o que fez.

Sem pretender fazer qualquer juízo de valor, até porque o direito à presunção da inocência, não pode ser só retórica, a especificidade do cargo que ocupa não é compatível com qualquer tipo de dúvida sobre a sua conduta.

Em todo o caso, da mesma forma que não devia ter sido logo condenado (sem julgamento) por tanta gente, também agora não se justifica tamanha fila de cumprimentos e de reconhecimentos de carácter e de ética, à pessoa em questão.

Tudo tem a sua conta e medida!

SBF

PROGRAMA DO GOVERNO


Então, mas não foi o PS que ganhou as eleições?

O Primeiro Ministro não é o José Sócrates?

Queriam o quê? Que ele apresentasse o programa de governo da(s) oposição(ões)?

É claro que o governo só podia apresentar o programa do PS. Alguém se dispôs a estabelecer algum acordo com o PS? Parece que não, e todos se “gabaram” muito disso. Portanto, se não houve esse tipo de compromisso, é o programa eleitoral do PS que os eleitores votaram em maioria, que “vai a jogo”.

A partir do programa apresentado na Assembleia da República, vai ser feita a discussão e, todas as bancadas, irão dizer de sua justiça. Ou seja, se houver necessidade de negociações e acordos, cedências dum lado e doutro e mesmo compromissos, então sim, estão no tempo certo e não mais cedo.

O extraordinário no meio disto tudo, é a desfaçatez de alguns politólogos e comentadores, que embarcam completamente nos argumentos da oposição – Que o Primeiro ministro se comporta como se tivesse tido maioria absoluta. Então agora, quem ganhar eleições, só tem legitimidade para apresentar o seu programa se tiver maioria absoluta?

Vamos ver o que valem na Assembleia a partir da próxima 5ª Feira.

SBF

PRATELEIRA DE LIVROS


Os Retornados
Um Amor nunca se esquece
De Júlio Magalhães


É o primeiro romance do autor. Conhecido do grande público pelo seu trabalho de televisão, primeiro na RTP e depois na TVI, onde recentemente, foi nomeado Director de informação.

Júlio Magalhães nasceu no Porto mas foi com sete meses para Angola, tendo vivido em Luanda muito pouco tempo e depois, até regressar a Portugal em 1975, na cidade de Lubango, nome actual, e que antes se chamava Sá da Bandeira.

Embora só tivesse 12 anos quando regressou à cidade do Porto, viveu por dentro o drama de muitos milhares de Portugueses que, dum dia para o outro, tiveram de deixar tudo para trás e lutar para conseguir um lugar num avião ou em qualquer outro meio de transporte, que os tirassem de Angola. Ninguém respeitou os acordos do Alvor. De Portugal já não era possível enviar mais soldados para substituir os que regressavam, os três movimentos de libertação lutavam entre si para conquistarem o poder, e, por outro lado, iam esmagando tudo o que fosse português, mesmo que estivessem em Angola há 2 ou 3 gerações. No verão de 1975, estava espalhado o terror e a morte era “tratada por tu”. Toda a gente queria fugir das cidades Angolanas, e principalmente de Luanda.

Depois da fuga, iniciava-se outra luta. Chegar a Portugal, para muitos um País completamente desconhecido, e tentar recomeçar tudo de novo, acartando às costas o peso de ser “retornado”.

Decorridos 34/35 anos, começa a falar-se deste período da nossa história com toda a abertura, sem tabus, e também os que cá estavam em 1974/75, já conseguem entender quanto difícil foi ser “retornado” naquela época.

Este romance do Júlio Magalhães foi um êxito, como já está a ser o segundo “Um Amor em Tempos de Guerra”, e aconselho todos a sua leitura.

É uma edição da “Esfera dos Livros” e a primeira foi em Fevereiro de 2008.

SBF

(Gravura: Capa do Livro)

LINCES EM SILVES

Finalmente, começaram a chegar ao Centro de Reprodução do Lince-Ibérico em Silves, exemplares desta espécie animal, para que a reprodução seja iniciada em Portugal como já vem acontecendo em Espanha.

Já estão em Silves, vindas de Espanha, duas fêmeas e um macho e, até Dezembro, prevê-se que cheguem mais 13. Como se sabe, o Lince Ibérico está em vias de extinção e, só com este tipo de intervenções, se está a conseguir parar o sentido e invertê-lo.

Depois de um período, que não será longo, de adaptação nos Centros de Reprodução, teremos linces em liberdade nas serras Algarvias, na serra da Malcata e, noutros locais onde o ICNB entenda adequado.

Bom trabalho!

SBF

(Gravura: Wikipédia)

PÃO - POR DEUS

O que entra nos nossos ouvidos, é: – pon’pordeus.

Na verdade, o que, logo de manhã muito cedo, se ouviu na boca de magotes de crianças por essa Abrunheira fora, neste dia 1 de Novembro de 2009, foi o mesmo que já se ouve há muito tempo contado em anos. Para mim, valem pelo menos cinquenta… metade dum século.

“Pão – Por Deus” – É isso… é pão que se pede. Claro que hoje, oferece-se tudo menos pão. Os miúdos do século XXI não achariam graça nenhuma que lhe metêssemos pão nos sacos. Duma maneira geral, temos o cuidado de na véspera trazermos do super-mercado, uns chupas, rebuçados, chocolates, caramelos, gomas, outras guloseimas sortidas e sei lá mais o quê.

Mesmo assim, e certo que a maioria das crianças, que hoje palmilharam a Abrunheira e outras localidades onde é hábito o “Pão – Por Deus”, o fizeram incentivadas pelos Pais por uma questão de tradição, mesmo assim, dizia, houve alguns, que neste dia de “Todos os Santos”, provaram iguarias, que de outra forma nunca é possível.

Nestes dias difíceis, para muitas famílias aqui na Abrunheira, e em muitas outras “terras de Deus”, pedir “Pão – Por Deus”, não só no dia um, mas em todos os dias do mês, faz toda a diferença.

SBF

LÍTIO - O OURO MODERNO

Contestação à exploração de Lítio-Serra da Estrela-24.08.2019  (DN online) Muitas regiões do nosso país têm o subsolo a abarrotar de o...