TRANSPORTES MAIS CAROS!

A partir da meia-noite de hoje, muitos portugueses vão pagar mais para chegarem aos seus locais de trabalho.
Os aumentos são brutais e os falados 15% podem, nalguns casos, ser superiores a 25% que vão sair exclusivamente do bolso de quem trabalha e ganha pouco.


Silvestre Félix

A MAIORIA E AS BABOSEIRAS!

O líder do PSD-Madeira, disse hoje na festa partidária do Chão da Lagoa, no meio das habituais baboseiras, que se não tiver maioria absoluta nas próximas eleições regionais de Outubro, se retira da política.
Razão e oportunidade acrescida, digo eu, para que o povo da Região finalmente se liberte de "selo" tão deprimente e que, ao mesmo tempo, «tão bem» trata os seus compatriotas Continentais.
Não é por mais nada…é que está “fora de moda!”


Silvestre Félix

E DÍVIDA SOBERANA AMERICANA?

A falta de entendimento entre Republicanos e Democratas nos Estados Unidos é assustadora. A ausência de aprovação do novo teto de dívida Americana para além da próxima Terça-Feira, seria o equivalente a um terramoto universal com tsunami’s em tudo o que fosse costa no mundo inteiro, fazendo parecer a atual crise da dívida europeia, uma pequena gota de água no oceano.
Hoje, Sábado, ninguém acredita que isso venha a acontecer, mas que é uma possibilidade real, lá isso é!
A máxima de que “quando os USA espirram, a Europa apanha uma pneumonia” continua a ser verdade absoluta.


Silvestre Félix

AS SECRETAS E O INTELIGENTE!

Por serem “secretas” muito difícil é saber-se o que se passa com elas. Os boatos brotam como água em ribeiro com leito de cheia baralhando e envenenando os canais preferidos dos espiões de profissão.
Conversas, desculpas e acusações protagonizadas pelo “
inteligente” que, a melhor avante sempre consegue levar.
Alguém (da
turma do Zé) conseguiu perceber o que é que aconteceu? Claro que não! Não fora uma questão de secretas e espiões.
Lá que interessa ao “
inteligente”, é verdade, porque senão falavam menos do sério assunto (?).
Assunto, não!
Matéria! Que é como eles gostam de dizer!
E o
, como é que fica?
Pior!


Silvestre Félix

A ALEMANHA E O CHEQUE…

Os foguetes que pela Europa foram lançados na passada 5ª feira, estão a perder força e prestes a estatelarem-se no chão outra vez.


O Ministro das finanças do Governo de Angela Merkel, numa declaração bem ao jeito do “quero posso e mando” diz que «não passa o cheque em branco» para o FEEF comprar dívida no mercado secundário, sem que se observem circunstâncias excecionais. Ou seja, o que ficou acordado no último Conselho Europeu só terá eficácia, caso a caso e, com a especial luz verde da Alemanha.


Resultado imediato ou mera coincidência: Juros da Espanha e Itália subiram a pique. Nalguns prazos estão ao nível dos de Portugal há menos de seis meses.


Silvestre Félix

MAU SINAL

E os nossos digníssimos deputados lá conseguiram arranjar duas semanitas de férias.
Muito “mau sinal” dão a
quem não tem férias porque tem de trabalhar
e a quem não vai de férias porque não tem onde trabalhar.


Falando em “mau sinal”, também o é, aumentar o número de administradores para a nova administração da Caixa Geral de Depósitos, ainda por cima, alguns bem conhecidos por estarem na primeira fila da ascensão de Passos Coelho.
Outro “mau sinal” são as derrapagens que se vão detetando nos diversos ministérios. “Mau sinal” reforçado são os gritos ao “vento” de alguns ex-governantes tentando minimizar a situação.


Silvestre Félix

DE JOELHOS

E as “Golden Share’s” estão a acabar! É mais um bocado da nossa soberania que vai à vida. Acontece porque estamos “de joelhos”, não temos alternativa para manter o interesse nacional nalguns setores estratégicos.


Silvestre Félix

O SOBE E DESCE!

A conversa dos juros que sobem, que descem, que estão assim-assim, sempre com justificação do “inteligente”, já chateia!


Silvestre Félix

O DISCURSO E AS INTERMITÊNCIAS!

O PS precisa de ficar forte e em condições de, no final da legislatura, concorrer de igual com o PSD e CDS. Os valores da esquerda portuguesa, embora não exclusivos do PS, só podem ser valorizados, melhorados e aperfeiçoados, com o empenhamento do PS e dos seus militantes. O Estado Social, expressão agora tantas vezes vilipendiada, aplicado e desenvolvido com critérios realistas, é condição indispensável para evoluirmos como sociedade e tem sido uma das bandeiras do PS. No entanto, vendo de fora, porque do interior vêem os seus militantes, o Partido Socialista ainda tem muitas barreiras para ultrapassar.


No passado Sábado, estava a bater a meia-noite e as palmas esticavam-se mas, depois de mais um sorriso introspetivo, lá começou a faladura numa fase em que o sono estava a cumprir a sua obrigação – Precisava eu, de ser espicaçado para o vencer.
Nada disso aconteceu – não fui espicaçado e o sono ganhou a aposta. Ainda não me tenho em mim… depois de António José Seguro proferir aquelas primeiras sábias e singularíssimas palavras, que nunca nesta parte do hemisfério se tinham ouvido -
«Este resultado não é uma vitória pessoal mas sim, uma vitória do PS» (mais ou menos isto, estou a citar de cor), comecei a piscanhar os olhos, entrei numa “onda” intermitente de consciência e inconsciência, dando para, de vez em quando, ir percebendo a profundidade (?) de algumas bem construídas frases. Às vezes tão fundas que vai ser muito difícil trazê-las do buraco.
Estou embasbacado com este meu aparente desinteresse mas, que hei-de fazer, acho que, para empolgar uma plateia, mesmo televisiva, não basta querer, é preciso saber e é preciso que o orador tenha carisma e uma certa dose de espontaneidade que não tem de ser na oratória, que seja, principalmente na postura.


Silvestre Félix

"POR ESTE MUNDO ACIMA" De Patrícia Reis

«Procura alguém que saiba mais do que tu. Não te limites a receber, aprende a dar. A reciprocidade é essencial.»
Pedro
referiu, mais de uma vez, estas palavras que sua Mãe lhe disse no leito da morte. Tinha oito anos e, sem a proteção da Mãe, iria ter de viver numa grande cidade completamente arrasada por um cataclismo.
A destruição e a morte foram a regra e, os sobreviventes, como ele e Eduardo que viria a ser o seu Pai adotivo, a exceção.
“Por este mundo acima” é uma extraordinária lição de amor, amizade, lealdade e humildade. No meio dos destroços do que tinha sido a nossa civilização e depois dum primeiro período de adaptação à nova realidade, Eduardo, com a sua experiência e sabedoria, realça na criação e educação de Pedro os valores essenciais da vida.
Na própria história, Patrícia Reis destaca a importância dos livros na formação humana e é um dos elementos essenciais na rotina dos personagens que dão corpo a esta maravilhosa narrativa.
Patrícia Reis (
http://vaocombate.blogs.sapo.pt/) nasceu em 1970, tem vasta formação académica superior, jornalista desde 1988 em vários jornais e revistas portugueses e fez estágio na “Time” em Nova Iorque. Em 2004 escreveu a novela “Cruz das Almas”, seguiram-se vários romances, biografias entre outros trabalhos e, este ano, “Por este mundo acima”.
É uma edição das “Publicações Dom Quixote” e a primeira em Maio de 2011.
A gravura é a capa do livro copiada do blogue da autora.



Silvestre Félix

É CONDENÁVEL, OU NÃO?

Pedro Passos Coelho não precisava deixar passar tanto tempo para esclarecer a história do “desvio colossal”.
Foi de propósito, descuido ou negligência?
Qualquer um destes motivos é condenável!


Silvestre Félix

TRANSPORTES E OS AUMENTOS

15% ? Está tudo doido ou quê?


A situação das empresas de transportes do Setor Empresarial do Estado não estão bem e é urgente resolver o problema mas, desta forma, começaram pelo telhado.
Lá que avançassem para aumentos superiores ao habitual para regularizarem as tesourarias, ainda vá, agora que queiram levar os utilizadores à falência ainda mais depressa que as empresas, já é demais!


Silvestre Félix

ORÇAMENTO DO ESTADO

Um orçamento é mesmo o que a palavra quer dizer – uma previsão de receitas e despesas para determinado plano definido no tempo!
Ora o Orçamento do Estado deste ano, como toda a gente bem se lembra, foi aprovado no final de 2010 (depois daquelas lamentáveis cenas protagonizadas pelos que estavam e por alguns que estão, com direito a fotos via telemóvel e tudo) sem ter em conta os valores e as medidas incluídas no acordo com a Troika. Com a respetiva implementação já era, e é certo, que o Governo tem de apresentar um retificativo.
Não é preciso ser um “crânio” em finanças para entender isto. Daí que já me faz “cócegas” a insistência de alguns jornalistas, pivôs e comentadores, a interpelarem ministros e o próprio Primeiro-Ministro sobre se vai haver ou não orçamento retificativo como se isto fosse uma tragédia (mais uma) nacional. Não tem nada de extraordinário, é só atualizar os montantes de acordo com uma realidade diferente da que existia em Novembro de 2010.
Há dias que olhar para a TV à hora de notícias é pior do que sujar um pé de m…a!
Silvestre Félix

VIA DO INFANTE E OS “VIRA-CASACAS”!

Até tenho uma certa consideração pelo homem, mas quando, assim descaradamente e em tão pouco tempo, tem duas opiniões completamente opostas sobre as previstas portagens na A22 mais conhecida por Via do Infante, fico e ficarão muitos portugueses e principalmente algarvios, desenganados com o atual Presidente da Câmara de Faro. Afinal ele é igual aos outros. Antes de 5 de Junho, todas as “lutas” eram consideradas para evitar a implementação da cobrança, depois do PSD, o seu partido, ter a responsabilidade de Governo, já não é bem assim e até admite como razoável que a passagem na Via do Infante seja paga.
Pois eu não! Passo lá muito poucas vezes, duas ou três vezes por ano, portanto não é pelo que no futuro pagarei que tenho esta opinião. Mas sei reconhecer a diferença entre uma A29, A17, A23, etc., e a A22.
A Via do Infante quando começou a ser construída ainda não se falava em SCUT’S, não tem perfil de auto-estrada e nalguns troços é demasiado estreita, ainda por cima, noutros sítios o piso está impróprio. Outras razões porventura haverá mas o que me chateia é a parcialidade do ponto de vista partidário, do Presidente da Câmara de Faro.
Acho que ele foi um bom governante, ótimo Presidente de Câmara em Tavira, excelente interventor nos mais variados temas nacionais e regionais mas, com esta sua última atitude, deita por terra todo o prestígio que tinha.


Silvestre Félix

(Foto: Ponte internacional sobre o Guadiana onde termina a leste a A22 - Wikipédia)

NELSON MANDELA

Nelson Mandela fez hoje 93 anos de BI. Os noticiários e as primeiras páginas dos jornais lembram o aniversário do Ex-Presidente da África do Sul.
Mandela e o seu legado não se deve comemorar só hoje.
Madiba deve ser lembrado todos os dias. A sua luta e o seu exemplo enquanto vítima do apartheid e depois em liberdade é singular.



Silvestre Félix

A POSSE QUE NÃO FOI!

Que algo aconteceu para Bernardo Bairrão não tomar posse do cargo para que tinha sido convidado, é mais que evidente.
Que as verdades, as mentiras e as meias-tintas continuam sem ser desmontadas, também é verdade.
Que Bernardo Bairrão tem dado a cara assumindo a sua condição de vítima (ou não) das maledicências e intrigas de que foi alvo, continua a ser verdade.
Que existe nesta “história”, uma zona muito escura que não dá para ver nada e que há gente a tentar desesperadamente que a coisa se mantenha tapada, ainda é confirmada verdade.
Que há pessoas com má índole capazes de usar todos os meios para levar a cabo uma vingançazinha, também consta que é verdade.
Que andam por aí alguns e algumas que, com muita facilidade, “emprenham” pelos ouvidos e depois têm “partos” difíceis, continua a ser verdade.
Silvestre Félix

CLARIVIDÊNCIA

O Presidente da República descobriu… que a solidariedade na União (?) Europeia, hoje, é uma treta!
Sensacional, o nosso mais alto Magistrado da Nação, munido de toda a clarividência do mundo, vê as coisas mais claras agora na época pós-Sócrates.
Vale mais tarde do que nunca!


Silvestre Félix

SEXTA-FEIRA DIA 15!

Não simpatizo com o estilo e tenho dificuldade em acompanhar a lentidão do discurso professoral do novo Ministro das Finanças. Em aparente contradição com o que acabo de escrever, quer-me parecer que transmite segurança e é muito claro nas explicações. Não deixa pretexto para dúvidas e, em prejuízo da minha “reserva” auditiva, fico-me pelos aspetos positivos que é o que mais importa.
Quando vejo um militar ser condecorado e, ainda pior, quando dou conta duma farda militar cheia de medalhas penduradas, fico mal disposto e vem ao de cima toda a carga anti-militarista que transporto desde sempre.
Os alemães continuam a insultar os outros europeus com a facilidade com que se come um pão com manteiga. E são sempre uns tipos que usam os altos cargos que têm para vomitarem o seu germânico ódio sobre, principalmente, os do Sul da Europa incluindo os portugueses.
Mário Soares diz, mais uma vez, «que é amigo dos dois candidatos a líder do PS, e que não devem irritar-se em público.» Está tudo muito certo mas já o vimos irritar-se e zangar-se com correligionários seus sendo que, não é garantido, que a culpa não tivesse sido dele. Tenho a certeza que, por suposição, fosse Mário Soares um dos candidatos e outro dissesse em direto na TV que tinha conseguido um resultado melhor que o dele nas últimas eleições, quando do que se tratava era disputa entre partidos e não entre distritais do PS, Mário Soares se irritaria e não deixaria sem resposta quem estivesse à sua frente. Foi o que Assis fez, quanto a mim com excessiva calma, mas não podia deixar de o fazer mesmo estando sentado à frente de um camarada de partido que tinha acabado de o provocar e achincalhar.
Assunção Cristas começa bem e acaba de iniciar uma nova “escola” – a dispensa de uso de gravata durante o verão. As razões são muitas, desde as ambientais, poupança, até ao simples conforto. É uma medida corajosa porque rompe tradições e tem um grande peso simbólico.


Silvestre Félix

QUANTO AO PS…

E as oposições criticam o imposto especial. É o que se já se sabia no que respeita ao BE e ao PCP. São coerentes e os seus apoiantes não esperariam outra coisa.
Quanto ao PS, a coisa já não é bem assim, acho que deviam ter calma. Ainda há pouco mais de um mês eram Governo e esta ou outras medidas parecidas se seguiriam se tivessem ganho as eleições. No passado recente também levaram avante decisões tidas como indispensáveis à recuperação do deficit mas gravosas para os portugueses.
O tom e o sentido de algumas declarações de destacados elementos do PS sobre o imposto especial e uma ou outra atitude do novo Governo, têm sido geralmente mal recebidas por parte considerável dos portugueses. Ao PS falta arrumar a casa e, então, depois que dance a sua musica.
O Ministro das Finanças hoje, em resposta à questão “desvio colossal”, deu uma explicação. Ou seja, da parte do Governo é necessário cuidado com as expressões usadas dentro ou fora de portas. Uma palavra mal encaixada numa frase inocente pode voltar a inflamar o nosso ambiente político e, nesta fase, é do que menos precisamos.



Silvestre Félix

E AS FÉRIAS…DOS DEPUTADOS?

Os senhores Deputados não abrem mão das férias.


Qual nova legislatura?
Qual memorando da Troika?
Qual lixo da Moody’s?
Qual crise?
Qual interesse nacional?


O que interessa é garantir pelo menos duas semanitas de férias. O trabalho é muito… e, por isso, precisam de ir a banhos para regressarem em condições de resolverem todos os problemas desta Nação quase milenar que, incessantemente, clama pelos bons ofícios destes dedicados “servidores”.
Desculpem se me enganei… as exceções confirmam a regra!


Silvestre Félix

NOUTRA GALÁXIA!

O ultraliberalismo que nos governa na Europa continua a não dar conta disto.


Quem houve o Presidente da Comissão a falar até parece que vivemos noutro planeta.

Se calhar até é verdade, estamos mesmo mais longe, provavelmente noutra galáxia e nem demos por isso.


Silvestre Félix

AUTARCAS E A TROIKA

Há muito tempo que os nossos políticos deviam ter implementado uma grande reforma da administração do território. Não precisávamos da Troika para, à pressa, fazermos assim uns remendos que, pelo que já se vê, sairão todos enviesados.
No congresso da Associação Nacional dos Municípios Portugueses que ontem encerrou, Pedro Passos Coelho voltou a prometer diminuir o número de Freguesias. Esta promessa já repetida vezes sem conta, só por si, não é nada. Só se justifica diminuir freguesias se o mesmo for feito com os Municípios.
Diz o Presidente da ANMP que Portugal tem um número de Municípios idêntico ao do resto dos países da Europa. Isto não se pode comparar assim. As funções e obrigações autárquicas de Portugal podem ser muito diferentes noutros países. O que sabemos é que no nosso País existem alguns Municípios que deviam ser divididos porque têm muitos habitantes e muita área e, noutras zonas, acontece exatamente o contrário – Concelhos inferiores a algumas freguesias.


O que já foi feito em Lisboa deve servir de exemplo para todo o País no que respeita a freguesias e a concelhos. É uma oportunidade para colocar a regionalização na agenda. As Comissões Regionais existentes podem e devem ser o pontapé de saída.


Vamos ver qual é o verdadeiro poder do Primeiro-Ministro neste confronto com os barões autarcas, principalmente do seu partido.


Silvestre Félix

OS PRETOS DE POUSAFLORES De Aida Gomes

Aida Gomes é Angolana de nascimento e, após a Independência, veio com o Pai para Portugal fugindo à severidade da Guerra. Aqui viveu e sentiu o ingrato preconceito dos que cá estavam.
“Os Pretos de Pousaflores”, não é a história da autora. Aida Gomes, com a sua experiência no terreno, mostra-nos os regressados de forma diversa da que nos habituamos a ver. "Silvério" que partiu sozinho para Angola ainda mancebo, volta à sua terra natal nos confins das montanhas do centro de Portugal trazendo consigo três filhos. Dos quatro, só ele é branco. Mais tarde juntar-se-á a mulher de uma das filhas. Este é o ponto de partida para uma maravilhosa narrativa.
O Pai revive todo o seu passado colonial e até tem uma “linha direta" com o histórico "Silva Porto”. Os filhos, cada um à sua maneira, crescem pelas vidas que vão tendo à mão, nem sempre pelos melhores caminhos. O "Justino" regressa mesmo às origens, retomando o correr normal da emergência da terra angolana.
Os diálogos levam-nos a um mundo do hemisfério sul, temperados com aquele sabor da língua portuguesa quente como a terra.


Aida Gomes é uma mulher do mundo. Nasceu perto do Huambo em Angola, vive desde 1985 na Holanda onde estudou e fez mestrado sobre processos históricos e políticos na África Subsariana. Trabalhou e residiu no Cambodja, em Moçambique, no Suriname, em Angola, na Libéria, no Sudão e na Guiné-Bissau. Está ligada à ONU tendo vivido muitas situações de conflito e pós-conflito com todas as consequências que se adivinham. Já adulta procurou as suas raízes em Angola e acompanhou sempre o Pai até à sua morte com visitas frequentes a Portugal desde a Holanda.
A edição é das “Publicações Dom Quixote” e a 1ª em Fevereiro de 2011. A gravura é a capa do livro importada do site da editora.


Silvestre Félix

AO LIXO COM AS AGÊNCIAS DE RATING!

A atitude de Rui Rio, Presidente da Câmara Municipal do Porto, em relação ao comportamento das agências de rating é clara e enérgica. Não renovou o contrato com a Fitch porque «tem dificuldade em trabalhar com quem não considera sério.»
O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, também reagiu “no mesmo comprimento de onda”.
Muito admirado fiquei com a conformidade com que o Presidente da Câmara do meu Concelho de Sintra reagiu ao “corte” de rating por parte da Moody’s.
Acho que, duma maneira cirúrgica e bem concertada, as várias entidades que pagam anualmente milhões a estas três agências de rating, deviam fazer como Rui Rio.




Silvestre Félix

O POLVO NÃO DORME!

Com a volta da calma, embora efémera, à Grécia, os tentáculos do polvo voltam-se novamente para Portugal. Na véspera de mais uma ida ao mercado, uma das agências ataca. A seguir virão as outras e entretanto vão-se acumulando os estragos (bolsa, juros, desconfiança, etc.).
O que antes da crise servia para justificar os cortes e o aumento dos juros, a instabilidade política, a tomada de medidas de austeridade, a necessidade da ajuda (?) externa, etc., agora já não vale nada, porque, assim sendo, e estando ultrapassados esses constrangimentos e se a honestidade na análise e nos objetivos fossem apanágio, o que devia acontecer por parte dos mercados (?) era o contrário.
Hoje temos um Governo maioritário, um acordo com a troika com apoio de 85% do parlamento, um Presidente da República sintonizado, força para a implementação de medidas de austeridade, etc., para quê? O que lhes interessa?
Os tentáculos são muitos, são compridos e o EURO está marcado. Para chegarem ao miolo precisam de começar pelas pontas e, a Europa, jogando com os egoístas interesses, vai correspondendo à fúria especulativa que não pára.
Sem entrar na questiúncula partidária portuguesa:
Quantos níveis de rating os tipos já nos desceram desde que o anterior Governo caiu?
Quantos pontos percentuais dos juros da dívida subiram?


Quem comanda esta coisa sabe o quer e não parará enquanto ninguém lhes fizer frente.


Silvestre Félix

SOBERANIA?

Na Europa, o conceito de soberania foi mudando à medida dos que dominam e, por isso, mandam. Ou seja, todos os que, como Portugal, são dominados e mandados, já não têm qualquer tipo de soberania.
Já se sabia que as “Goden Shares” iam acabar e, ainda por cima, faziam parte do acordo com a troika mas, entre o saber e o acontecer, vai alguma distância. Agora é uma sensação real de perca.
Qualquer destas empresas, a EDP, a GAP ou a PT, são portuguesas e, a partir de agora, podem simplesmente deixar de o ser. Pode acontecer que até deixem de ser europeias, bastando para isso que o controle acionista passe para capitais chineses, americanos, do Qatar ou até da “Conchichina”.
Que no Brasil haja arte, engenho e dinheiro, para tomarem posição forte nestas empresas por enquanto portuguesas.


Silvestre Félix

POLÍCIA ÚNICA

Acho que já ontem era tarde a criação duma “Polícia única” juntando a PSP, SEF e PJ. Pena é, e não entendo, que a GNR esteja fora do projeto. Acho que não se justifica haver um corpo policial civil e outro militar, ou melhor, não é necessário existir uma força policial militar.
A estrutura da GNR, incluindo o pessoal, devia ser distribuída pelas Forças Armadas na sua vertente militar e, pela nova polícia, na vertente civil.


Desta maneira era concretizada uma grande reforma, racionalizava-se os meios das polícias e das Forças Armadas existentes, apurava-se a eficiência e, a poupança, em vez de 270 milhões como dizem, subia para o dobro ou triplo.


Silvestre Félix

LIDERANÇA DO PS

Falta ainda algum tempo para os socialistas irem a votos eleger o seu novo líder mas a maioria da comunicação social portuguesa já fez a sua escolha.


Silvestre Félix

O DESEMPREGO HÁ CEM ANOS?

O Ministro da Economia disse que «há cem anos não tínhamos uma taxa de desemprego tão elevada.»
É verdade que temos uma taxa de desemprego elevadíssima e, desde que há registos, é recorde. Já não é verdade que há cem anos houvesse estatística de emprego comparável à actual e, por outro lado, o conceito de ocupação profissional não tinha nada a ver com o dos nossos dias.


Esteve mal o Ministro quando fez estas declarações.


Silvestre Félix

D. MARIA ADELAIDE DE BRAGANÇA – A INFANTA REBELDE - De Raquel Ochoa

A vida de D. Maria Adelaide de Bragança testemunhada aqui por Raquel Ochoa, ilustra bem de que “massa” algumas pessoas são “feitas”.
A obra, rapidamente “absorvida” por mais de um leitor cá em casa, está muito bem construída e faz jus ao gosto que tive quando li outras coisas da autora.
A par da vida desta Senhora que, se fosse esse o caso, inspiraria muitos romances e filmes, conta-nos Raquel, um lado da nossa história que normalmente não conhecemos. É sempre assim que acontece, «só dos vencedores reza a história». Independentemente do que esteve certo ou errado, tudo passou no tempo e devia também ter passado à história. Os intervenientes dum lado e do outro tiveram vidas, foram patriotas dos “quatro costados” e, neste livro, fica bem demonstrado que se revelaram grandes figuras de quem nos podemos orgulhar e prestar-lhes todas as homenagens.
Raquel Ochoa dá-nos vários “quadros” da grandeza da “Infanta” ao longo da vida, bem patenteada na sua participação “resistente” anti-nazi durante a ocupação fascista de Viena sofrendo prisões e torturas e, depois, já em Portugal, com a criação e manutenção da “Fundação D. Nuno Álvares Pereira” até ao final dos anos setenta.
A forma como D. Maria Adelaiderecebe” um assaltante nocturno em sua casa, é lição intemporal e universal. Só “grandes” pessoas têm este grau de humanismo!
Raquel Ochoa nasceu em 1980, em Lisboa. Tem viajado bastante aproveitando a descoberta e aprendizagem para a sua escrita. Em 2009 ganhou o Prémio Literário Revelação Augustina Bessa-Luís, com o (grande) romance “A Casa-Comboio” que percorre quatro gerações da mesma família indo-portuguesa e que me deu muito prazer ler.
A edição é da “Oficina do Livro” e a 1ª de Junho de 2011.
Silvestre Félix
(Gravura: Capa do livro digitalizada)

SEXTA-FEIRA AZARENTA OU NÃO?

Então agora o Strauss-Kahn foi libertado? Será que realmente tinham armado uma “estrangeirinha” ao homem? O actual Presidente francês anda em maré de azar: Ontem, puxaram-no (literalmente) pelo cachaço que não ganhou para o susto, ontem/hoje, esta notícia da libertação do, antes, seu carrasco na corrida presidencial do próximo ano. Ele há sextas-feiras que não precisam de ser “treze”, para serem azarentas!


Vamos lá a saber:


O deficit do primeiro trimestre deste ano apurado ontem pelo INE, é de: 7,7%, 7,8% ou 8,7%? É que já vi estes três números referidos em televisões e jornais, com algumas repetições o que retira a hipótese de engano de quem escreve. Será que já toda a gente liga tão pouco ao deficit que, décima para baixo ou décima para cima, é a mesma coisa?


Quando ontem me sentei e olhei para a televisão na altura em que estava a ser transmitido o debate parlamentar, fui obrigado a aproximar-me mais do televisor porque pensei estar a ver outro parlamento que não o nosso. O que vi não foi debate, foi troca de cumprimentos e muitas vénias.


Por quanto tempo?


Silvestre Félix

E O GLACIAR DESAPARECEU!

Placa descerrada hoje, 18 agosto de 2019, na Islândia, marcando o dramático dramático acontecimento Em consequência do desapareciment...