COMUNICAÇÃO SOCIAL E AS ESCOLHAS

Desde que é possível ver a televisão em diferido que sou um mestre no manuseamento do respetivo comando.

Dos blocos noticiosos, espremo bem a coisa e talvez veja aí um terço do total. Sim, porque há assuntos que andam dias seguidos, semanas e até meses, a preencherem tempo e a encherem chouriços, para que os portugueses fiquem bem cientes daquilo que eles querem.

Mas agora, quando vêm aqueles assuntos, ou aquelas personagens que, ouvindo-as, me ferem os ouvidos, ando logo com a emissão para a frente. Há uma remessa de comentadores, politólogos e pivots que, simplesmente, deixei de os aturar.

Aquelas séries interessantes e um ou outro filme assim-assim, eu é que escolho a hora e o dia de ver.

O que eu quero dizer, é que continuamos prisioneiros duma comunicação social que nos intoxica, cada vez, com mais convicção.

Silvestre Félix
19.11.2016
Tag: Comunicação Social

Foto: (Marretas-Velhos) Google

Sem comentários:

HÁ ANEDOTAS BEM MAIS FRAQUINHAS

Tenho a impressão que deixaram plantado, ali para as bandas de Alvalade, um vírus que, como todos os outros que por aí andam, ataca sem ol...