sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

NESTES DIAS, NO LIMIAR DA POBREZA

O Quim, sobre quem escrevi há dias, a propósito dos pretensos rankings das escolas do nosso país, só deveria voltar à sua escola no recomeço das aulas em janeiro do próximo ano. Sim, deveria ser assim, mas não é!

O Quim tem voltado à escola todos os dias, um pouco mais tarde, mas não falha ao almoço que continua a ser servido na escola, mesmo durante as férias. Alguns dias é a primeira refeição, outros, a Mãe lá consegue deixar alguma coisa de véspera para que não fique sem comer até ao almoço.  
  
Ao jantar, a Mãe ou o Pai, trazem para casa a refeição quente da IPSS que lhes dá apoio e, assim, lá vão passando estes dias que, a maior parte deles, se resumem a isto mesmo; arranjar maneira de meter qualquer coisa no estômago para não ter fome.

Natal? Consoada? Pai Natal? Prendas? Compras? 

São tudo palavras que não constam no seu dicionário.

O Quim não inveja os que tudo isso têm, nem se sente revoltado por isso.

Só quer conseguir ter os livros e condições para poder estudar. Há de dar a volta por cima, ajudar os pais e quem dele precise. 

Silvestre Félix
23.12.2016
Etiqueta: Natal, pobreza, Foto: Google
Ficcão da minha autoria. 

Sem comentários: