AS PORTAS QUE SE FECHAM…


« …Era uma vez um país
de tal maneira explorado
pelos consórcios fabris
pelo mando acumulado
pelas ideias nazis
pelo dinheiro estragado
pelo dobrar da cerviz
pelo trabalho amarrado
que até hoje já se diz
que nos tempos do passado
se chamava esse país
Portugal suicidado. …»

Parte do poema revolucionário “As portas  que Abril abriu” de José Carlos Ary dos Santos que morreu a 18 de Janeiro de 1984, faz hoje 29 anos.

Esta obra do Ary foi escrita em 1975. O PREC fazia o seu conturbado percurso mas era o tempo da esperança…

Todas as homenagens lhe são merecidas!

Silvestre Félix

Sem comentários:

OS SEGREDOS E OS PERIGOS, VISTOS POR UM CANUDO...

Se, num passe de mágica, conseguisse recuperar a “minha-janela-daquele-terceiro-andar”, donde, durante tanto tempo contado em anos, conseg...